domingo, 26 de junho de 2016

Gigantes de verdade

Existem pessoas que nos fazem sentir pequenos, não porque nos humilham ou desdenham, mas nos fazem sentir assim pela grandeza que aflora de seu interior; Cada superação, cada pulsação de grandeza emanada da alma desses humanos formidáveis, nos mostra o grande abismo que existe entre o ser e o ter. 

Pessoas que ultrapassam obstáculos, sem que para isso haja uma exibição de força, apenas passam, ultrapassam, transcendem... são nesses momentos que somos minimizados, debulhados diante da humildade, do carinho, do auto-controle. Percebemos que a força não é tão forte quanto a delicadeza, que a arrogância não consegue superar a gentileza, e que o respeito é mais importante que a razão. 

São seres humanos maravilhosos, que nem a morte consegue sufocar a voz de seus exemplos doados. Não alcançamos seu prisma de vida, e quando assim conseguimos, já não os temos mais, pois, foram desperdiçados seus melhores momentos em nossa convivência por simples preconceitos, presunção e limitação intuitiva. Mesmo nessas horas, que percebemos nossa injustiça com esses iluminados do Pai, notamos que são mais forte que tudo isso que tentou sufocar suas notáveis passagens por nós, pois continuam brilhando, emanando, ensinando, comovendo, conquistando, e transmitindo, a micronésima parte da centelha que o Divino deu-lhes para  diatribuir entre nós alunos, crianças, indoutos, cegos. 

Esses são os gigantes que viveram e vivem conosco, que estão além da aparência, e do tangível, que são capazes de nos ensinar sem palavras doutrinas inteiras sobre o amor e a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário