domingo, 17 de abril de 2016

Permitir

Permitir, permitir-se, ser permissivo... o limite estabelecido, concedido, tolerado. Quando perdemos ou ganhamos? Onde somos furtados com essas invasões controladas? É a vida marginal, beirando o interesse de terceiros, nossos... é a rendição voluntaria ao que nos encanta desfavorecidamente... nos prendendo, nos depreciando, nos destruindo. Nos sentimos presos ao sabor distorcido da verdade, somos atraidos feito cães sarnentos pelo odor da carcaça podre no chão, porque aquilo é util, funcional, necessario...

Passamos a entender que o querer nem sempre é benéfico, que a negação pode ser amarga feito a dor, mas tao necessaria para nos favorecer com a sensação produzida pelo não arriscar, e o que pode vir de pior depois do prazer de permitir... mas escolhemos o sim, assumimos o risco do Perder, do ser furtado, invadido, desrespeitado, e muma melhor opção rejeitado pelo objeto de mossa permissividade, só assim nos livramos do doce prazer do não poder, por não sentir, por não provar.

sábado, 2 de abril de 2016

Quem dera...

Imagem
Sou letra... Quem dera fosse a pena que por teus dedos são acariciados, Quem dera fosse palavras que na tua boca se fartam, quem dera fosse pensamentos, pois estaria perto, sussurrando em teus ouvidos essas palavras distantes que nem escritas foram em papel.
Ah! Quisera ser teus pensamentos! perto da delícia que são os teus segredos, invadindo cada pedacinho de tua psique, navegando em tuas fantasias, nesse caldo fértil de tua imaginação, me banhando em tuas lagrimas retidas podendo passear entre tua alma e coração, poder falar: "oi!" ao amor novamente, e com ele mergulhar de cabeça no teu Jardim da Paixão.
Como eu queria ser uma carta a ti endereçada, ficar frente a frente com teu rosto, amparado na brandura das tuas mãos, ver teus lábios balbuciando baixinho esses versos que sou eu, poder sentir teu fôlego, o halito que sai da tua boca, refrescando minha saudade, revivendo minha paixão.
Mas sou menos que uma carta, sou apenas saudade, não passo de uma  recordação, de uma loucura de verão. Quem agora significa? Quem tem sido substancial, quem tem sido verdade, quem tem sido mais que essa minha triste paixão?

Covardes que Libertam



Muito breve percebemos que a vida tenta por todos os meios torna-nos covardes, perdedores… mas sorria! quem tem coragem de estar vivo, encontra forças para vencer as oposições;

Amar não é o mesmo que amarrar, não significa deter alguém, ou priva-lo de escolhas; é mais que uma conquista, é libertar o prisioneiro de uma gaiola, permitir que alcance vôos além dos limites do cárcere de um coração.

Descobrimos que amamos, quando somos capazes de libertar nossos afetos, quando preferimos a felicidade mesmo que seja sem nossa coadjuvação, por mais que o desejemos por perto, não nos satisfaz mais o possuir, não nos comprazemos na posse, antes na felicidade relativa de saber que o nosso amor vai bem, que o “nós” foi único e inesquecível por curtos momentos, e que nossa história foi “eterna enquanto durou”.

Covardes (heróis!) soltam pássaros! não por medo, mas por amor, pelo compromisso assumido diante do outro, para preservar o pouco que lhe resta de vida e de humanidade; a covardia que lhe é tatuada, assume forma de memória, mostrando-lhe o quanto teve a oportunidade de viver a coragem de seus sentimentos, porem, preferiu carregar tais marcas a ter uma vida livre da dor da saudade.

A solidão passa desapercebida aos que amam, pois estão ocupados demais amando! Sofre, mas suporta o sofrimento, fecha as possibilidades para novos amores, até o dia em que entende que sempre amou sozinho, e percebe o peso desse sentimento, que se torna inviável tê-lo como mochila, e que não escolhemos com quem dividir essa carga, simplesmente esperamos a sorte de sermos amados, e amarmos quem se dispôs nesta vida a viver conosco um breve romance ou uma longa história para a eternidade.

Frases



“Palavras são eternas.”



“Da fraqueza da mente provém da ilusão, da esperança desmedida no imoral, no que não é nosso, no que não tem relação com nossa realidade.”

“Não temo os mortos, mas os vivos.”

“O VÍCIO e a NORMALIDADE, estão divididos pelo controle do que fazemos.”

“Não existe inferiores,apenas diferentes,basta o ser humano notar essa diferença.”

“Violência é a falta de argumentos de um indivíduo.”

“Não haja segundo a emoção, aprenda a controlar o seu íntimo para que possas ser próspero.”

“Do que adianta dizer-mos ser se não somos? temos medo de ser o que relmente somos, pois o que somos, reflete o nosso medo de ficarmos sós.”

“Nada contra a causa feminina,
quero que isso fique bem claro,
mas, contra a anarquia do feminsmo,
sou um radical Xiita!”

“As vezes deixamos de fazer ou abandonamos algo, não por considerar errado, mas em respeito a concepção de erro do nosso próximo.”

“Não temamos a noite, ela apenas anuncia mais um novo dia.”

“As vezes o brilho ofuscante do sol,não supera a acanhada luminosidade da lua.”

“Para compreender o sucesso de um povo, é preciso conhecer seus rastros deixados no caminho.”

“Sem amor não existem problemas, pois sem o mesmo, nunca haveria o existir.”

“Enquanto se olha para traz, fica impossivel dar passos a frente, e quando o damos erramos no caminhar.”

“Um povo sem passado, não pode viver um presente e jamais terá um futuro.”

“Se o nosso hoje não nos agrada é porqueno nosso ontem, não alhamos para o nosso amanhã.”

. “Acima de qualquer coisa do gênero, as limitações se sobressaem,por impedirem que o indivíduo realize sonhos e objetvos, que para ele, seria de vital importância para o seu desenvolvimento moral.”

“Só serão capazes de escrever versos aqueles que possuem a cicatriz do amor cravada no peito.”

“A confiança é amiga do perigo.”

“Melhor do que odiar rindo, é amar chorando”.

“O pensamento de um poeta não deve ser questionado ou constrangido; O pensamentode um poeta deve ser admirado, citado e preservado.”

“A disciplina é o segredo que nos leva transpor os limites e as impossibilidades.”

“Palavras comprometem.”

“O homem é de uma tão miserável natureza que chega a desprezar sua situação de deploração a fim de tirar proveito de uma circunstância que o favoreça.”

“Ai dos homens se não fossem os bois para puxarem as carroças!”

“Uma das coisas de maior impacto na vidado ser humano é o reconhecimento.”

Gregório Jr.

Publicado: 01.04.2006

Fuga

Os olhos procuram o que a mente ordena, buscamos ouvir para esquecer a saudade; por receio, fugimos do que pode nos dominar, somos tolos, quando temos medo de amar.

Rosa



Porquê me seduziste?
Nem ao menos te toque
no teu corpo não peguei,
do teu espinho não tirei.


Porque exalaste este aroma?
me prendendo com teu feito,
me envolvendo com teu jeito,
me deixando sem noção.

O que fiz foi passar do teu lado,
mesmo que mal intencionado,
com a morte não merecia ser enganado.

Me feriste quando te olhei.
Marcaste-me com armas que não te desarmei.
Mesmo que eu me vá, marcas tua levarei.
João Batista Gregório Jr
Julho/2003

Publicado: 03.04.2006 em PlatônicoRosautopia 

Carregando boi

Abrem-se as comportas! A manada vai subir! Depois de uma hora de espera, cada um se espreme com o outro a fim de não perder tempo para conseguir seu melhor lugar naquela carroça, quanto esforço vão! O dono da carroça, não anda dentro dela, logo, não há melhor lugar! Tudo é duro, pequeno e apertado.

Fecham-se as comportas! É hora de conduzir o animal até o curral. Eita! Boi pra sofrer! Se antes se espremiam para subir, agora se equilibram para não cair! É tanta cabeça, que não conseguimos olhar nem para os nossos pés, imagina enxergar o chão dessa joça?! Cada um se vira como pode! Quem conseguiu lugar, ta aguentando os que não conseguiram caírem em cima de si, não que se sintam atraídos, mas por não possuírem mais como se manter de pé. Desce a primeira boiada! Aliviou um pouco, mas de imediato, o condutor da carroça junto com o fiscal da empresa, põe um olhar de patrão para que possamos sair daquele lugar e passar para o “nosso cantinho lá traz”, depois do contador de passagens, em respeito aos mais velhos! Que danado de respeito é esse?! Quando o dono da carroça não sabe o que é isso. Constrangidos, passamos pelo contador de passagens, e logo levamos uma ferroada em brasa, bem no bolso! Essa doeu! Além de ir em pé e espremido ainda tenho que sair com o meu bolso ferrado! Eita! Boi pra sofrer! O bicho aguenta tudo isso calado! Pois não sabe reclamar, se reclama, vem Seu Polícia com a vara na mão, dá razão ao dono da carroça, e pode até me fazer ir o resto do caminho a pé, comendo grama. Êta! vida sem grana! É difícil viver assim, sendo servido por bacana, onde se passa um serviço safado, por um preço tão caro. Enquanto isso, o dono da carroça, com a pança imensa, gordo de tanta riqueza, fecha os olhos e diz que vai tudo bem, amanhã vai ganhar mais dinheiro levando pra cima e pra baixo esse bicho mal educado, que só come capim, e não anda de carro!

Desce a última boiada! Chegam a seus currais cansados, tiram os sapatos, deitam em suas camas de feno, fecham os olhos para descasar, com medo de acordar pensando no amanhã, quando tiverem que encarar de novo a Carroça, a Ferroada, e seu Cantinho Lá Traz, e já dorme estressado, pensando: como é complicado, ser liso, e ter uma vida de gado!


João Batista Gregório Júnior
19 de Janeiro de 2006

Passos

Passos frenéticos
Passos cansados
Passos ligeiros
Passos trocados

Passos que não se dariam
Se soubessem o destino que receberiam
Pois não se sabe se após cada passo
Morte ou vida o esperaria.

Universos que se encontram
Caminhos que se cruzam
Destinos que se vão

No final de cada caminho uma história.
No fim de cada história uma vida
Vidas decididas por passos, apenas passos.

João Batista Gregório Jr.

Publicado no Jornal Mundo Jovem, da PUCRS

Quem te conhece?

Quem te conhece?

Quem sabe o que você é?

Até onde podes ir?

Até onde queres chegar?



Ah! Coração…

O quanto sofremos!

Nessa estrada que escolhemos

Que só nos leva à solidão!



Não te posso arrancar do peito

De ti vem todo esse meu Jeito

Que me faz alegre ou ter pesar…



Sofro quando te vejo,

bate mais forte no meu peito

Todo desejo que tenho por te amar!


Publicado: 21.09.2015

Novos candidatos à velhas mentiras!

Novas escolas

Antigas ilusões.

Muitas promessas

Poucas realizações.

Exploradores de esperança

Encontram frustração:

Inicio de uma tropa

Fim do pacato cidadão

Pessoas sem carreira,

Homens sem honras,

Heróis sem méritos;

Sonhadores relutantes

Trabalhadores insessantes

Jamais serão como antes.

Publicado: 21.09.2015 

Aos olhos de Deus





Homicidas, sem nunca ter matado
Apenas por ter odiado
Adúlteros, sem nunca ter traído
Apenas por ter desejado

Pobres, por confiarmos em nossos recursos
Cegos, por nos guiarmos pelo que vemos
Nú, por não nos vestirmos com roupas brancas
Enganados, por nossa arrogância

Erramos, por sermos Pecadores.
Desgarrados, como ovelhas errantes
Leprosos, feridos para morte
Miseráveis, por não conhecermos Seu amor.

Mentirosos, por negarmos que mentimos
Hipócritas, por figirmos o que não somos
Malditos, por confiarmos no homem
Perdidos, quando não temos à Cristo.

Conhecidos dEle na Eternidade
Predestinados segundo seu amor
Chamados, pela atração da sua Cruz
Justificados e Glorificados por sua vontade.

Amados, porque nos amou
Perdoados, porque nos perdoou
Restaurados, porque nos restaurou
Vivos, Porque Cristo Ressuscitou.

Publicado: 25.12.2010 em Devocional 





Amor, jóia exclusiva da alma, que possui seus possessores, ditando-lhes as regras, ferindo-lhes na desobediência, consolando-os na submissão; quem não fora vítima de seus laços? Quem pode viver sem ele? É a força mais brutal da natureza, e a mais doce do ser humano. 
É vida e é morte!

Publicado: 07.01.2013 em Amor 

Amor






O amor: Transforma o sofrimento em poesia, dias claros de verão em céu nublado, devota beleza aos que não a possui.

Publicado: 17.01.2013 em AmorimagemReflexão